Publicidade

sábado, 20 de março de 2010

Pressão arterial variável pode causar derrame.

Diferentes estudos publicados na última sexta-feira, dia 12, no periódico médico Lancet and Lancet Neurology, indicam que os atuais tratamentos conferidos a pacientes com pressão alta precisam ser revistos.

Pesquisadores europeus chegaram à conclusão que pessoas com variações ocasionais de pressão podem estar expostos a um risco maior de sofrer um derrame do que aqueles com pressão alta, porém estável.

Um dos estudos, realizado na Unidade de Pesquisa de Prevenção de Derrames no Hospital John Radcliffe, em Oxford, na Grã-Bretanha, acompanhou cerca de 8.000 pacientes que haviam sofrido um enfarte. Foi descoberto que aqueles que sofriam com variabilidade da pressão arterial estavam seis vezes mais sujeitos a ter um derrame do que aqueles com constante pressão alta.

"Há a tendência a ignorar essas variações quando, na verdade, elas nos informam sobre um risco real de derrame", diz Peter Rothwell, que participou do estudo conduzido em Oxford. Ele e seus colegas examinaram em outro estudo o efeito de diferentes medicamentos na pressão arterial: descobriram que aqueles capazes de estabilizá-la eram mais eficazes na prevenção de derrames.

Contudo, alguns médicos afirmam que apesar de interessantes, os resultados da pesquisa de Rothwell e seus colegas ainda não são suficientes para que haja mudança nos tratamentos e recomendações médicas. "Não podemos mudar nossas orientações toda vez que uma pesquisa nova aparece", ponderou Lars Hjalmar Lindholm do Hospital da Universidade Umea na Suécia. "Não queremos que os pacientes pensem que a pressão alta, mesmo sendo estável, não é algo negativo. O que muda agora é que os pacientes que vínhamos negligenciando por não terem pressão alta também deverão ser tratados."

Fonte: Veja.com.br

Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 Comentários:

Postar um comentário