Publicidade

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Alagoas pode perder a chance de representar o Brasil em festival

Grupo Transart foi escolhido pela coordenação dos Festivais de Folclore na França para se apresentar, mas pode custear despesas 

Grupo quer levar para a Europa dezenas de manifestações folclóricas do Brasil (Foto: Divulgação)

O presidente do balé folclórico, professor Rogers Ayres, explicou que o primeiro festival está previsto para o dia 15 de julho – o último será em 30 de agosto -, e que o convite ao Transart honrou os integrantes do grupo. “Esta foi a primeira vez que a coordenação dos Festivais de Folclore na França selecionou o estado de Alagoas e essa será uma missão nobre para nós. Temos 34 anos de atividade permanente no Brasil e, acho que foi por isso que o reconhecimento internacional chegou. Entretanto, não temos condições de pagar todos os custos para que a viagem possa acontecer”, explicou ele, acrescentando que o Grupo está sendo pressionado pela organização do evento, que quer fechar a programação dos festivais. “Lá ninguém entende a indiferença que estamos recebendo das autoridades competentes. Ainda não conseguimos encontrar alguém que abrace essa causa, que compreenda que a divulgação do folclore alagoano pode trazer frutos para o panorama do turismo aqui no Estado”, comentou o professor.

Passagens, confecção de roupas e reformas dos baús

Rogers Ayres também contou que a temporada em solo europeu já está garantida. “Temos hospedagem, alimentação e translado assegurados pelo Departamento Internacional de Cultura da Unesco. Entretanto, o Grupo não consegue a ajuda básica para facilitar a sua saída do estado e manter o afastamento de todos por um período tão longo. Esse apoio inclui a aquisição das passagens aéreas, as necessidades de ajuda de custo mínima para o dia-a-dia dos componentes, cachê para a orquestra formada por oito músicos profissionais, as reformas de sete grandes baús de viagem, dos figurinos e dos adereços (grande parte ainda confeccionados em 1996), confecção de folhetaria (folder, cartões e cartazes) em vários idiomas divulgando a história de nossas danças e as belezas e atrativos naturais da nossa terra e fardamentos”, detalhou.



Grupo durante apresentação cultural (Foto: Divulgação)


Segundo o professor, o projeto de patrocínio já foi entregue, desde o início do ano, a vários órgãos e instituições dos governos estadual e municipal e também pra algumas empresas locais, mas, até agora, nenhuma resposta positiva foi obtida.

Lamentação

A caravana folclórica também lamenta ainda não ter sido recebida por alguns segmentos do poder público e da iniciativa privada, apesar de vários agendamentos que foram realizados com antecedência.

“O Transart está apelando para que toda a comunidade turística de Alagoas se dê as mãos e contribua conosco. Queremos ajudar Alagoas a fazer bonito nos palcos e mostrar toda a raça e a beleza da cultura da nossa terra. Vale lembrar também que os estados de Pernambuco, Mato Grosso e Minas Gerais estão querendo penetrar nesse circuito, oferecendo-se para assumir todas as despesas da viagem para poder levar sua cultura à Europa no lugar de Alagoas”, alertou Ayres.



 Parte da formação do Transart (Foto: Divulgação)

A delegação alagoana é composta por 34 componentes e, se conseguir viajar, fará as primeiras apresentações nas cidades francesas de Martigues e Confollebs, municípios onde se concentram o maior número de grupos folclóricos de todas as partes do mundo.

Rogers Ayres garantiu que o Grupo se preparou há vários meses para os shows folclóricos, que deverão ter orquestra especial para as apresentações ao vivo, obrigatórias no regulamento dos festivais.

“Nós aumentamos o repertório de danças devido à representatividade nacional. De Alagoas, levamos apresentações de caboclinhos, reisado, guerreiro, pastoril e bumba-meu-boi. Será que o Estado de Alagoas e a cidade de Maceió vão deixar escapar essa grande oportunidade?”, indagou o professor, que esta semana levou a caravana à Associação dos Municípios Alagoanos e a Câmara Municipal de Maceió para também sensibilizar prefeitos e vereadores.

Fonte: Gazetaweb.com
Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 Comentários:

Postar um comentário