Publicidade

domingo, 21 de março de 2010

Mercado de Trabalho

Entenda a evolução da profissão e as tendências do mercado da Educação Física.

Na última década, o surgimento de novos heróis nacionais em diversas modalidades esportivas tem feito o "país do futebol" se interessar cada vez mais por outros esportes, como vôlei, basquete, judô, tênis e esportes radicais. O interesse cada vez maior por novas modalidades esportivas e pelo próprio corpo - basta ver o número sempre crescente de academias de ginástica e de personalidades que têm seu próprio preparador físico, o personal trainer - está fazendo com que sejam abertas novas vagas no mercado de trabalho para esse profissional. Faz sentido.

Afinal, é ele quem define a atividade física mais adequada a cada pessoa, orienta posturas corporais, intensidade e freqüência de cada exercício e, baseado em conceitos científicos, melhora o condicionamento físico e o desempenho muscular e cardiorrespiratório de alunos e atletas.

O sistema de exercícios físicos, nascido na Antigüidade grega, e as provas atléticas que deram origem à Educação Física moderna chegaram ao Brasil no final do século XIX, oriundos principalmente da Alemanha e da França, assim como diversas modalidades esportivas. Nas décadas de 20 e 30, surgiram os primeiros cursos de formação de professores, ligados a instituições militares. Daí em diante, a Educação Física ganhou as universidades, sempre adequando-se aos novos conhecimentos e à realidade do mercado de trabalho.

Ao optar pela carreira de Educação Física, o aluno pode escolher entre a Licenciatura e o Bacharelado. Os licenciados podem atuar, principalmente, como professores em todos os níveis de ensino. O bacharel, por sua vez, vai encontrar lugar em academias, clubes sociais e esportivos, condomínios, acampamentos e como personal trainer. Nesse caso, seu trabalho será ministrar aulas de ginástica, coletiva ou individual, a fim de melhorar e fortalecer a musculatura e as condições cardiovasculares das pessoas.

O educador físico trabalha com crianças, jovens, adultos, idosos e pessoas em condições especiais, como deficientes físicos e gestantes. Também planeja atividades em hotéis, acampamentos, clubes e condomínios. A educação física não proporciona apenas atividades esportivas ou lazer, mas, como uma ação da área de saúde, também é uma técnica preventiva. No caso das gestantes, por exemplo, a prática correta de atividades físicas ajuda a facilitar o parto. Ou seja, em casos como esse, o educador físico não recupera o corpo, mas elabora atividades físicas para prevenir eventuais lesões.

Os profissionais formados em Educação Física estão habilitados a trabalhar, ainda, em instituições públicas e privadas, nas quais podem dar orientação aos funcionários, por exemplo. Outro campo de atuação são secretarias oficiais de educação, de cultura, de esporte e lazer, além de centros comunitários, parques, clínicas, spas, hospitais, creches, penitenciárias, casas de menores carentes e grupos especiais, como gestantes, deficientes físicos e mentais, pessoas com problemas ortopédicos ou cardiovasculares.

Nos últimos anos tem surgido no mercado a figura do personal trainer, cujos serviços já deixaram de ser exclusividade de uma elite. Com pouco tempo livre para fazer uma atividade física, muitas pessoas contratam, em grupo ou individualmente, um profissional para a orientação de exercícios individualizados. Hoje existem até mesmo academias volantes, nos quais o personal trainer monta uma verdadeira academia, com aparelhos, e dirigi-se à casa do cliente.

Um bom profissional deve adquirir, ao longo de sua formação, sólidos conhecimentos sobre as atividades biológicas e psicológicas do ser humano, além de conhecimentos filosóficos e sociológicos que dêem base a sua atuação. Isso inclui Fisiologia, Anatomia, Psicologia, Filosofia, Sociologia, História e técnicas de ensino e aprendizagem em Educação Física.

Além disso, o profissional deve ter algumas características pessoais, como gostar de estudar e ensinar movimentos dentro de um contexto educacional lúdico e criativo. Todas as pessoas que trabalham na área necessitam do diploma de educador físico. Isto inclui o técnico desportivo, normalmente um educador físico que no último ano faz um curso específico.

Tendências:
Cada vez mais o educador físico precisa ter uma visão ampla do mundo que o cerca. Para manter a harmonia do corpo não basta trabalhar com a parte física, é preciso trabalhar também com a mental. Não é exagero dizer, assim, que o curso estará cada vez mais ligado indistintamente às Ciências Biológicas e Humanas.
Fonte: Portal da Educação Física
Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 Comentários:

Postar um comentário